Vigésimo sétimo dia: Um Dia Druídico

Padrão

Novembro de 2012 – Bealtaine.

A chuva caía lá fora, batendo nas janelas. Aqui dentro estava seco, fragrante e quente, por causa do fogo que fora aceso, e do incenso que queimava. As mesmas duas frases vinham sendo repetidas – cantadas – há bastante tempo quando fechei os olhos e vi, dentro das pálpebras, o mar. Ele era uma faixa imensa, profunda, azul e eterna, com uma coroa de espumas brancas sob um céu apenas ligeiramente tempestuoso. Chuva fina fingia que caía na minha pele, muito frágil e quase inexistente, mais uma bruma do que chuva de fato. Sal tocava meus lábios, e um vento frio, cortante e úmido lançava meus cabelos para trás, impedindo que o capuz do meu casaco permanecesse em seu lugar.

O calor levemente doloroso no meu ventre e a dificuldade de encontrar posição adequada faziam com que a visão da praia fria e úmida piscasse um pouco, hesitasse, quisesse sumir e ser substituída pela concreta, seca, quente e fragrante realidade física. Perseverando, mantive a visão clara na minha mente, enquanto levantava do círculo em que estávamos sentados e caminhava até o mar. Aos meus pés, um pequeno barquinho de papel aninhado num cetim azul profundo. Mas eu o visualizava imenso, um enorme navio de madeira a cortar as brumas maritmas, ondas levantando-se à sua passagem. De dentro dele veio um homem alto, sério, de olhar severo e competente. Ele vestia um manto branco e verde, e pisou na areia me olhando com uma atenção tão concentrada que parecia perfurar meu corpo e me encarar a alma. Surpresa, pois não esperava que fosse ele a chegar, pedi desculpas pelo meu desassossego e recusa imediatos, e abri meu coração para dizer seu nome e dar-lhe as boas vindas.

Mais tarde, tirei o papelzinho sorteado, e nele dizia Bealtaine. Achei curioso, pois há exatamente um ano, quando postei-me diante do mar escuro sob um céu estrelado, fora sua contraparte escura que surgira em meus dedos, Samhain.

O papel sorteado é um compromisso, uma responsabilidade, de organizar um dos oito rituais do ano. Para o Samhain deste ano, me preparei por seis meses inteiros, lendo e relendo, escrevendo e reescrevendo, buscando determinados objetos que se fariam necessários para realizar o que eu tinha em mente. Cuidei de cada detalhe com todo o zelo que me foi possível, pois eu sabia que Samhain é um grande marco na nossa Roda, o Ano Novo, e o início da Fase Escura. Todos os ritos são importantes, é lógico, mas a meu ver Samhain e sua contraparte clara, Bealtaine, destacam-se como cruciais. Na minha vida, é em maio e em novembro que constantemente as maiores mudanças internas são orquestradas.

Falta um ano para o Bealtaine, mas minha mente já volta-se para as possibilidades. Já começo a pesquisar e ler, buscar e sentir, imaginar e visualizar. Sei que na época, essa sementinha dentro do meu corpo já vai ter crescido e virado gente, exemplo físico, direto e concreto de todo o ciclo de vida, morte e renascimento que a natureza inteira encena todos os anos. Sei que ele ou ela vai ser meu sol e em torno dele girarão todos os meus planetas. E sei que vou me inspirar nesse sentimento de frutificação, expansão, luz e felicidade que sinto agora, na vida que brota e cresce, na luz que aumenta, no solo fértil que não desaponta.

Sempre amei a Fase Clara do ano, e hoje amo mais ainda. Por toda a promessa que ela contém, e por todas as delícias que ela no fim das contas de fato nos entrega, pois a promessa sempre se cumpre.

A proposta era falar sobre um dia druídico, mas todos os dias são druídicos, eles precisam ser. Ao invés, preferi falar dos ciclos e das possibilidades, e completar um raciocínio que foi dos mais relevantes, na minha opinião, de todos os que consegui refletir e meditar a respeito aqui nessa página, enquanto escrevia sobre esses 30 dias druídicos.

Era para falar de um dia só, mas falei de dois, marcos de um ciclo infinito. Com um pouco de um que veio antes, para explicar a origem, e a promessa de um que virá depois, porque a Roda nunca para de girar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s