Décimo sexto dia: Poesia

Padrão

Quando colocou seu pé direito na Irlanda, Amorgen Glúingel filho de Mil disse esse poema –
Eu sou vento no mar,
Eu sou onda no oceano,
Eu sou o bramido do mar
Eu sou um touro de sete batalhas,
Eu sou um abutre no penhasco,
Eu sou uma gota de orvalho,
Eu sou a mais bela das flores,
Eu sou um javali por bravura,
Eu sou um salmão na lagoa,
Eu sou um lago na planície,
Eu sou uma montanha em um homem,
Eu sou uma palavra de habilidade,
Eu sou a ponta de uma arma (que avança no combate),
Eu sou o Deus que fez o fogo para a cabeça,
Quem amaciou a aspereza de uma montanha?
Quem foi que anunciou as idades da lua?
E quem, que lugar o sol se põe?
Quem chamou o gado da Casa de Tethra?
E qual do gado de Tethra sorri?
Qual pessoa, qual deus faz armas em um forte?
Encantamentos sobre uma lança? Encantamentos do vento?
– Lebor Gabála Erren, O Livro das Invasões da Irlanda.

Há mais ou menos um mês assumi para mim a tarefa de reunir todos os contos de mitologia irlandesa que considero particularmente importantes, dos três ciclos principais (Mitológico, de Ulster e Feniano), e também algumas Immrama. Reuni, com a ajuda de recantos maravilhosos na internet, como o Sacred Text Archive e o Corpus of Electronic Texts da University College Cork, uma coleção tão grande que lotei 500 páginas de word, devidamente diagramadas, que serão impressas assim que possível para virarem material de consulta.

Uma das coisas que percebi logo de cara foi o fato de que a maioria desses contos irlandeses possui uma enormidade de poemas. E esses poemas, normalmente cantados, mas ocasionalmente declamados, possuem uma importância fundamental na contação das histórias. Às vezes parte da narrativa torna-se poesia, continuando do ponto onde a prosa deixou (sendo que, em outros casos, toda a história é narrada em forma de poesia, ou ao menos uma versão dela o é), enquanto que, na maioria das vezes, a poesia declamada influi diretamente no curso da história.

Poesia é uma forma de magia, nesses mitos. Um poeta pode alterar o clima, dar coragem a guerreiros, tranquilizar a fúria do mar, desfazer ou criar uma ilusão, demonstrar poder e superioridade, ou destronar reis com uma poesia. Essa noção, de que a poesia produz magia é tão forte que no imaginário popular um encantamento é uma poesia, com suas rimas a dar-lhe força.

A palavra era muito poderosa para os Celtas, e talvez por isso ela não devesse ser escrita. É dito que os bardos passavam dias e dias decorando verso por verso de suas canções e poemas, na escuridão, e que essa era uma parte do ofício religioso. Com palavras o bardo Amorgen guiou os filhos de Mil em direção à Irlanda, desfez a magia das ondas dos Tuatha De Danann e os levou em segurança para a praia. Com palavras ele fez a divisão de terras, relegando os Tuatha De ao subsolo e ao Outro Mundo. As palavras poéticas de um bardo desfaziam reis: foi uma sátira de Cairpre, o bardo, que finalmente derrubou Bress de seu trono tirânico.

Tenho uma paixão por poesia que é quase reverente. Augusto dos Anjos é meu favorito, para ser sincera, e eu costumo declamar seus poemas em voz alta para sentir-lhes a sonoridade. Tenho a impressão de que, através da poesia, é possível traduzir imagens, sentimentos, sensações que a prosa não trasmite tão bem. Poesia é como… apresentar uma visão de mundo, uma filosofia completa. Em forma de arte.

Anúncios

»

  1. Eu fico viajando com os seus textos… eventualmente eu pousei em um livro.
    Tá aqui mais uma recomendação para você: “vôo da Gaivota”, da Emanuele Laborit. Cuidado p não confundir, pois tem um livro espírita q é homônimo.

    A história do livro é uma autobiografia de uma surda de nascimento que por recomendação médica não podia gestualizar para se comunicar, p q ela aprendesse a ler lábio e oralizar mais facilmente. Ela ficou praticamente 7 anos sem desenvolver qualquer linguagem estruturada.

    Eu acho q eu tenho cópia de um capítulo, vou procurar.

  2. Pingback: 30 Dias Druídicos « Sídhe

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s