Oitavo dia: Divindade e Crença

Padrão

– Você acredita em Deus?

Acredito. E em Buda, Krishna, Yemanjá, Tupã, Thor, Ísis, Pachacamac, Kwan Yin, Amaterasu, Jesus Cristo… e em todas as entidades em que se deposita ou depositou a fé humana. É que a crença é uma coisa muito poderosa. A fé de milhares de pessoas ao longo de centenas (muitas vezes milhares) de anos cria uma coisa chamada egrégora. Uma egrégora é como se fosse uma concentração de energia gerada pelo pensamento, sentimento e vibração coletiva de várias pessoas, e essa concentração ganha uma personalidade, uma espécie de identidade. E ganha força.

Eu acredito em egrégora. Logo, acredito em tudo aquilo que é depósito de fé.

Mas entre acreditar e, digamos assim, ser devota, há uma diferença. Acreditar, eu acredito em tudo. Mas trazer para perto, atrair, chamar, seguir, honrar e reverenciar… olha, lembra daquela conversa sobre como a gente não tem uma explicação de porque se apaixonou por alguém? A mesma coisa. É uma coisa de identificação, de sentir que vibra dentro, ecoa dentro.

Os Celtas eram politeístas, mas seus Deuses eram em geral locais, ou tribais. Quero dizer, você pega aquela lista de trocentos e tantos deuses celtas e pensa, caramba, cada indivíduo celta cultuava todos esses??? Haja flor pra jogar no mar!!! Mas não era assim. Cada local tinha seus “favoritos”, digamos assim, cada tribo, cada clã… eles “adotavam” alguns Deuses.

E hoje em dia é a mesma coisa. No meu clã, cada um tem os seus “queridinhos”, um grupo (geralmente reduzido) de Deuses com os quais cada um de nós se identifica mais do que com os outros. E a gente nota que é uma coisa muito de personalidade, de vibração, de sentir parecido. Dá pra dizer que cada pessoa tem o Deus que merece, porque encaixa perfeitinho. Aí, o legal é quando juntamos todo mundo e cada um traz os seus para o ritual. Nesses momentos acontece de eu ter contato com uma energia que é super especial para meu companheiro de clã, mas que eu nunca tive muita afinidade… o que é sempre renovador, interessante.

Fiquei na dúvida se ia falar tanto assim, mas vá lá: meu Queridinho Número Um é na verdade Queridão:  o superlativo Daghda. Ele está sempre comigo, estou sempre com Ele, sinto uma ligação surreal. Faço para Ele oferendas de mingau de aveia com cerveja preta, às vezes um pão para acompanhar. Converso com Ele o tempo todo, chamo por Sua presença, nunca falta assunto. E nunca me falta nada, graças a Ele. (:

Além Dele, também chamo muito por Macha, Morríghan, Airmid, Bríd, Lugh e Manannán. Mas muda. Manannán, por exemplo, é uma “paixão” recente, fui encontrá-Lo só no fim do ano passado, depois de ter tirado minha carteira de navegadora na Capitania dos Portos. É impossível navegar para o mar aberto, desligar o motor da lancha em pleno oceano Atlântico, olhar em volta no meio daquela imensidão azul… e não ser completamente feita refém da grandeza do Senhor do Mar.

E acho que é assim que funciona. O relacionamento com uma Divindade é como o relacionamento entre duas pessoas. Ele é construído, estabelecido, fortificado… e, do mesmo modo, pode haver um afastamento, por que não? Vejo isso como vejo tudo: é muito orgânico, não dá pra esquematizar, nem colocar lógica. É um daqueles mistérios.

Anúncios

»

  1. Pingback: 30 Dias Druídicos « Sídhe

  2. Wow, taí uma das coisas que eu não poderia concordar mais. Acho q é nesse mesma vibe que as pessoas conseguem festejar yule no verão e litha no inverno por aqui, apesar q ainda assim eu acho estranho. Adorei o post!

      • POis é, acabei de ler seu outro post sobre a Roda! No outro dia não tive tempo de ler tudo… (nem deveria agora pq estou escrevendo minha mono)
        Eu acho bizarríssimo seguir a roda invertida!! Uma vez conversei muito com uma amiga sobre isso e a conclusão mais plausível que consegui aceitar foi essa questão do acreditar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s